" DE LISBOA A CALECUTE" 8º parte


Afonso era um infante traquinas. Desde miúdo gostava de carrinhos de choque e batalhas navais. Em 1490, aos dezasseis anos, casou precocemente com Isabel, filha dos Reis Católicos. Era a prometida união das quatro coroas… A Ibéria fundida.
D. João, contra a vontade da mãe, deu-lhe de presente um cavalo artilhado no mais “fine tuning”. Naquele dia de mau presságio, seis meses após a boda, o Infante e seus estouvados escudeiros, foram a correrias para os lados de Almeirim. A mãe, D.ª Leonor, ainda gritou da amurada: “Leva-me o capacete, Afonso”. O rapaz nada… Estava endiabrado. Depois de duas “sopas de pedra” e um garrafão regional de vinho roxo, Afonso apostou que chegava a Santarém sempre na contramão, atrapalhando o tráfego. Só parou de frente contra uma carroça de judeus em fuga de Castella. Os bombeiros demoraram três horas a desencarcerar o infante dentro do cavalo. Coluna partida… Vida acabada… Sonho imperial desfeito!
JORGE PINHEIRO

Um comentário:

Philip Rangel disse...

Meus amigos chegou a hora de rever os fatos que marcaram epoca no Entrando Numa Fria espero vcs em mais um inicio de debate..para fecharmos com chave de ouro 2008....

prazer esta akiii

.

.
conte o seu : qcucaup@gmail.com